Felipe Lacerda - o escritor que diz Ni

Fevereiro 15 2010

Eu gosto de trabalhar com papel, com planilhas, com coisas chatas, repetitivas e frustrantes como rotinas administrativas, Departamento pessoal e ORIENTAÇÃO COMERCIAL, que é o que faço. Ter uma mesa , um grampeador com meu nome, uma cauculadora com meu nome, uma gaveta com chave, um computador, uma pasta com meu nome... isso faz meu trabalho parecer importante. MAs tem uns detalhes:Gosto de trabalhar sem ter que atender o telefone 304939304 vezes por dia, eu gosto de trabalhar sem ramal, sem e-mail corporativo com mensagens do tipo “antes de imprimir pense no meio ambiente”. Gosto de fazer meu trabalho burocrático na paz da minha sala.

Mas como sabemos que Deus fecha um olho ao me ver passar, que é pra mirar melhor, o meu trabalho NAO È ASSIM.

Sou Orientador Comercial de uma poderosa franchise de cursos profissionalizantes (Ohhh). Acertou quem disse que eu trabalho com vendas. Isso significa que faço o que faço de melhor, que é argumentar, falar e falar. Essa é a parte prazerosa, realmente gosto das habilidades que disponho. Então, seria perfeito se a empresa usasse meus dotes messiânicos de persuasão para resolver todos as questões mais cruciais enquanto as meninas vendiam em suas mesinhas, felizes e serelepes como são. Daí, qualquer emergência elas apertavam um botaão vermelho embaixo da mesa e soaria um alarme na minha salinha com ar consicionado e eu iria vondo para lá, heroicamente resolver tudo.

SERIA perfeito, note bem o verbo.

Acontece que o meu patrão cismou que eu tenho cara de simpático, jeito de simpático e uma assinatura personalizada fodona que impressiona os clientes. A prática da vida nos distancia da arte ideal. Meu chefe me obriga a trabalhar com dois ramais e atendendo gentes e gentes que vão lá especialmente para escutar o que eu acho, como se fazer um curso de informática básica ou Rotinas Administrativas pudesse qualificar você para entrar, sei lá, na CIA (talvez se começássemos pelo inglês, quem sabe?) , mas eu nunca digo o que acho.. Eu digo o que o mercado acha.. E é sempre muito chato ter que saber o que o mercado acha. Minha namorada ficou rindo de mim quando contei os impropérios do mau uso da ironia e acidez numa negociação.

Juro que queria os arquivos abarrotados daquele lugar e o trabalho burocrático, mas eu acabei no trabalho de relacionamento direto com clientes... e quando você trabalha lidando de forma íntima (ui!) com pessoas, você descobre que elas são basicamente iguais as plantas, parece que é só aguar, mas…

O mundo corporativo é mais do que um lugar que te faz usar gravatas, um corte máculo no cabelo e um olhar  de Jack Bauers. O mundo corporativo é um lugar onde o flerte rola mais solto do que em casas de swing, a diferença é que todo mundo permanece vestido e a maioria não está lá por vontade própria. Usar um crachá  com seu nome embaixo das palavras "Orientador Comercial" é quase como fazer parte do clube das mulheres, se você tem um crachá e uma mesa grande, você será uma das pessoas mais assediadas, mesmo que pessoalmente você pareça um maracujá…

Bom, eu tenho um crachá, uma mesa grande e uma cara  pateta de smurf com fome… se você fosse uma  mulher maluca, carente e psicopata… quem você escolheria para te atender?  Yeah! Uhú!

Pessoa parada na frente da minha mesa, me olhando fixamente, me olhando fixamente, me olhando fixamente. Sorrio:
- Pois não? Posso ajudá-la?
- Oi – diz sorrindo – Lembra de mim?
- Ahn.. desculpa.. eu sempre tive esse meu sério problema de lembrar fisionomia, já encontrei meu irmão na rua e não o reconheci… E já são uns 18 anos juntos desde que o conheço.
- Ah.. eu não acredito que você não lembra… eu disse que gostava de homens inteligentes.. que liam.. você disse “nota mental: ler mais em público”, fizemos sexo selvagem em lugares públicos. Como você não lembra?
Quem estava do lado começa me olhar com aquela cara de “oba, pornô grátis às 2h da tarde”, mas tentei manter a simpatia corporativa:
- Bem.. eu costumo lembrar das pessoas com quem faço sexo..
- Mas você disse que às vezes não lembra nem da cara do seu irmão.
- Bem.. uma coisa não exclui a outra… eu disse que lembro da cara das pessoas com quem faço sexo e nunca fiz sexo com meu irmão.
- hahaha.. Boa.. então.. meu nome é Thais, já fizemos sexo, mas você não estava lá… mas foi só por falta de oportunidade, porque no fundo queremos.
Mantenho um sorriso meio amarelo e começo a desejar ser um avestruz para ter onde enfiar a cara nessas situações bizarras… como medida paliativa:
- Com licença, vou chamar meu chefe para te atender.
- Não, não.. espera… eu tava brincando, vai… e seu crachá diz que você é o chefe. Eu não sou uma tarada psicótica que vai roubar seu crachá para usá-lo no banheiro. Você me atendeu há uns dois meses… na verdade não faço parte da sua carteira de clientes.. sou cliente da escola X, mas você foi tão simpático da outra vez, será que não poderia me ajudar dessa vez? Eu bloqueei minha senha de consulta na internet. Poderia desbloquear e fazer outra pra mim?
- Tudo bem, me empresta seus documentos. A senha são 6 números. Não pode ser sua data de nascimento, não pode ser número em seqüência, não pode ser o mesmo número repetido seis vezes.
- E a sua pode?
- Oi?
- A senha pode ser a sua data de nascimento?
- Ahn… não é uma boa idéia.. até meu pai tem problemas para lembrar minha data de nascimento.
- E número de telefone.. pode?
- Claro… digite aqui.
- Ok.. qual é seu telefone?
- Oi?
- Tem que ser um número que eu não esqueça, não é? Então.. qual o seu telefone?
- XXXX XXXX
- Ei.. esse é o número daqui..
- Não deixa de ser meu telefone…

 

True Big Boss: Sabe quem era essa mulher que você estava atendendo?
EU: Não sei ao certo.. mas depois de tudo que li no jornal por esses dias.. eu diria que ela parece muito a filha do Tiger Woods com a Rhianna, mas uma Rhianna feia de uma realidade paralela.
True Big Boss: Bom, conta bancária pra isso ele tem.
EU: Eh.. e aparentemente compulsão por sexo também.

 

publicado por Felipe Lacerda às 20:52

Alto, loiro, sarcástco, finamente irônico, ator, escritor, ano 87, à alcool, sére luxo, estofado de couro, rodas de liga leve, direção hidráulica...
O Autor
comentários recentes
Muito bom o seu post. A poesia é alog que sempre v...
Na boa cara, muito pomposo este seu artigo, mas v...
Adoro este blog e já o leio à alguns dias a acompa...
Eu não sei quem sou e você sabe quem é? E se não s...
"A poesia é a música da alma, e, sobretudo, de alm...
deve se orgulha sim você é o OVULOZORD Da turma a ...
Como vc num deu nome aos bois, vou concluir que fo...
Como estabelecido entre o conselho nobre... aqui e...
Aquela do "rédeleibou ou aici" é pior... Vai por m...
http://poecinzas.blogspot.com/2009/09/uma-carta-pa...
pesquisar