Felipe Lacerda - o escritor que diz Ni

Novembro 19 2009

Esse diálogo foi originalmente publicado em Junho de 2008. Mas essa sequencia foi adaptada para as gravações de Léo & Bia (não, não é a próxima minissérie da globo, antes que alguém pergunte).  Esse diálogo aconteceu na ocasião das primeiras cenas da Orde de Dionísio, trabalho iniciado em Nova Serrana no ano passado.

 

_Felipe, porque estou gravando um filme há uma semana e ainda não sei sobre o que ele é exatamente? - diz ela, observando o interior do copo como se ali houvesse um espelho.

_Você não leu o projeto? Além do mais eu já disse, é sobre corrupção.

_Mas não denunciamos nada nem ninguém na história.

_Corrupção de mentes, subversão, desencaminhamento, essas coisas...

_Então a Ordem de Dionísio existe ou é invenção sua?

_É uma invenção minha que existe. Mais cerveja?

_Não. A história não parece fazer muito sentido. Entendi a mensagem de liberdade e tudo, mas fala-se muito pouco sobre os preceitos da Ordem.

_A Ordem é uma metáfora. É de tribos urbanas e solidão cosmopolita que o filme fala. Dessa coisa do tédio de não se ter o qe fazer e ter o corpo e os próprios desejos para se explorar.

_Isso rola em Divinópolis? O projeto fala que se baseia numa história real...

Eu explico pra ela a história real que não vou explicar aqui. Ela ainda retruca:

_Mesmo assim essa história me parece superficial. A vida não se preenche com o gozo dos sentidos apenas.

_Sei que não. E é por agora saber disso que escrevi esse roteiro. Uma catarse. entende?

_Ainda não. Se em Divinópolis a Ordem...

_...Mafia. Lá chamamos de "Méfia Costaniana".

_...Se a Máfia gira em torno de três pessoas, porque no filme aparece só um para corromper?

_Gabriel é uma síntese dos tres que te falei.

_E minha personagem?

_Sua personagem é a pessoa que ainda não encontramos por lá. A pessoa que vai dar seguimento a coisa quando os três caírem fora.

Ela fica calada. Bebe a cerveja. Pela cara que fez, deve te esfriado.

_Gostei bastante do filme, mas acho que teremos problemas.

_Não seria a primeira vez que isso me acontece. Quais exatamente?

_As pessoas podem não entender bem a mensagem. Ou podem entender bem demais e levar à sério.

_De qualquer forma eu me divirto.

_Eu discrdo de 70% do filme. O nosso corpo não é para ser assim expremido até a última gota. temos um caminho maior pra seguir, não podemos morrer todos jovens e extasiados.

_Sei que não. Por isso alguém precisa ficar e viver ra sempre. Só não precisa ser eu.

_E se você ficar? Digo..e se não morrera, envelhecer e ter filhos, virar avô?

_...

_Quer falar sobre isso?

_Tenho escolha?

_Não.

_(suspiro) Acho que a vida precisa ser consumada. Não adianta nada se não for assim. consumar a vida pode significar desde casar, ter filhos e mudar o mundo ou simplesmente faze um filme, compor uma música, escrever um livro...

_quando você se decidir a que veio, me avisa?

_Pare de ler meu blog.

_seus amigos tem razão, você é um clichê ambulante!

_Pare de ler o meu blog!

_E não confunda ética com éter de novo.

_PARE DE LER O MEU BLOG!

_Tá, tá, parei...

_(ufa!)

_MAs olha, seu roteiro é inteligente, adorei. Mas acredita mesmo nisso tudo o que diz?

_A parte filosófica ou a parte da putaria?

_Tem diferença?

(Por essa eu não esperava)

_Tem não. e tudo a mesma coisa. Só queria me esquivar. Que tal mais uma cerveja?

_Pode ser.

_Tá gostando do papel?

_Tem uma perte do filme que a gente dorme juntos, né?

_Tem. Mas nada explícito não, só insinuação. É pra ser um filme reflexivo, não pornográfco.

_E tem as meninas se beijando, tem eu beijando as meninas...

_é só insinuado também.

_Você é corajoso, sabia?

_Nem tanto. Seria um caubói se tivesse meia chance.

_Quê?

_Nada. deixa pra lá.

_è verdade que o Pastor da Universal te processou por algo parecido?

_Verdade é, mas não tinha nada a ver com isso. foi uma peça de teatro. Outra coisa.

_E tem medo de se expor demais, de nunca mais se livrar do movimento que iniciou?

_como assim?

_Você vai se casar um dia.

_Qual é, vá rogar praga na mãe.

_E se você um dia se arrepender de ser o que é hoje?

_O que eu sou hoje, senhorita?

_Não sei. O que você é hoje?

_Boa pergunta.

 

(Pagamos as cervas, mais um suco de laranja e aspirinas. A portaria do predio dela, meia hora depois)

 

_Então você vai me apresentar aos  outros dois autores?

_assim que puder ir comigo pra Divinópolis.

_Talvez sexta.

 

(silêncio. frio. arrisco um comentário)

 

_Você é mesmo bonita. Vou ficar sem graça nas cenas mais...íntimas.

_Já está me cantando?

_Desculpa.

_tudo bem.

 

(Mais silêncio. Mais frio. Outro comentário)

 

_Bom, seria mais um clichê enorme se eu subisse pra conversarmos melhor longe desse frio? Tem café?

_seria um clichê enorme.

_Desculpe de novo.

_MAs voce é um clichê enorme, certo?

_Olha, da próxima prometo não nascer, tá?

_Calaboca, cara. Para de bancar o cafajeste arrependido.

_Teste do sofá, então?

_A cena está longe, Felipe.

_O que raios você quer que eu faça então????

 

(ela fica calada olhando pra mim. Mais e mais frio. Eu com cara de besta)

 

_Que tal um ensaio?

 

(Mais ou menos meia hora depois)

 

_Fui bem no teste?

_Nós ficamos apenas conversando e assistindo Laranja Mecânica (que eu tenho e já vi trocentas vezes)

_Você esperava que eu subisse com voce e a gente fizesse sexo?

_Hmmm

_Você é mesmo um clichê.

_desculpe.

_Só queria que você visse o quanto o Álex se parece com voce.

_Eu sei. Quase briguei com dois amigos por causa disso.

_O que fizemos foi enteder o roteiro que você escreveu> Não é sobre corrupção, é sobre LIBERDADE.

_É?

_É.

_Putz. O que faço com minha pose de mau agora?

_Pode começar apagando o cigarro.

_Porquê? Já falei um zilhão de vezes que não fumo pra fazer pose.

_É que é proibido fumar perto dos meus ursinhos de pelúcia.

_Mais ensaio?

_É. Vamos entender a parte da corrupção agora.

 

publicado por Felipe Lacerda às 16:29

Cara essa historia de contar uma historia da outra historia pra gente....
Felipe Lacerda o cara do cabelo castanho claro... espero que você não me convide para ensaiar sozinho com você......
kkk
zuera Abraços...
Cadu Pagotto a 22 de Novembro de 2009 às 17:52

Qualquer coisa que eu falar, será clichê.
Beijo :)
Dai a 23 de Novembro de 2009 às 18:50

Alto, loiro, sarcástco, finamente irônico, ator, escritor, ano 87, à alcool, sére luxo, estofado de couro, rodas de liga leve, direção hidráulica...
O Autor
comentários recentes
Muito bom o seu post. A poesia é alog que sempre v...
Na boa cara, muito pomposo este seu artigo, mas v...
Adoro este blog e já o leio à alguns dias a acompa...
Eu não sei quem sou e você sabe quem é? E se não s...
"A poesia é a música da alma, e, sobretudo, de alm...
deve se orgulha sim você é o OVULOZORD Da turma a ...
Como vc num deu nome aos bois, vou concluir que fo...
Como estabelecido entre o conselho nobre... aqui e...
Aquela do "rédeleibou ou aici" é pior... Vai por m...
http://poecinzas.blogspot.com/2009/09/uma-carta-pa...
pesquisar