Felipe Lacerda - o escritor que diz Ni

Novembro 12 2009

Por questões técnicas, fiquei ontem sem energia. Não, não foi o apagão que deixou no escurinho até o Paraguay. No meu caso foi inadimplência mesmo. Recebi a visitinha do cara da Cemig. Mas foi inadimplência porque fui enfiando as contas na gaveta e esqueci de pagar. Três malditas contas de mais ou menos treze reais cada. O que significa que ontem não assisti Dr. house. Sem contar o carregamento de carne que teve que dormir na casa da minha mãe e eticétera. Tudo porque o bacoió aqui esqueceu de pagar a porra das contas.

Mas hoje de manhã paguei todas e pedi o religamento emergencial, o que me custou mais uns trocados da taxa de urgência.

Mas enfim, esse não é o caso. O caso é que ontem, devido à falta de TV e demais facilidades elétricas, comprei uma caixinha de velas e me tranquei no quarto (Paulo Mendonça marcou-me um café, mas aquele escritório está sugando a alma dele). Terminei de ler o livro de Análise Comportamental que estava lendo. Depois parti para o de Somatização, dei uma relida em alguns trechos do Pequeno Príncipe, rascunhei frases desconexas e outras mais conectadas, escrevi bastante, desenhei, li mais alguns outros títulos que estavam empilhados na cabeceira da cama e quando comecei a cochilar, estava terminando o gibi do Chico bento. 

E ainda eram 9 horas! Maldito horário de verão!

Mas quer saber a lição que tirei disso?

(Baixe a luz, por favor. coloque uma música de reflexão no fundo. Isso, agora fecha o close

 

...Preciso fazer isso mais vezes. Apagar as luzes e ler à luz de velas. Em uma noite eu li tudo o que estava atrasado em minha vida. Não sei quanto a vocês, mas eu sou preguiçoso. E meu cérebro adora a passividade da Tv em detrimento ao esforço hercúleo de certos livros. O que nos torna burros e condicionados a uma existência vazia. Vazia de conteúdo e significado. Não prometo ler menos Tv. Prometo ler mais.

Esse hábito estava caindo em minha vida e eu nem estava percebendo.

Bom, pensando bem agora, foi até bom não ter pago aquelas contas. Descobri novamente um prazer semi-abandonado. 

 

Hoje, depois de me espernear bastante por aí (e pagar as malditas),  consegui com que a  luz fosse religada. Mas confesso que foi mais pela carne que pela TV. ainda faltam alguns livros na minha escrivaninha. 

Até mais. 

publicado por Felipe Lacerda às 13:53

Alto, loiro, sarcástco, finamente irônico, ator, escritor, ano 87, à alcool, sére luxo, estofado de couro, rodas de liga leve, direção hidráulica...
O Autor
comentários recentes
Muito bom o seu post. A poesia é alog que sempre v...
Na boa cara, muito pomposo este seu artigo, mas v...
Adoro este blog e já o leio à alguns dias a acompa...
Eu não sei quem sou e você sabe quem é? E se não s...
"A poesia é a música da alma, e, sobretudo, de alm...
deve se orgulha sim você é o OVULOZORD Da turma a ...
Como vc num deu nome aos bois, vou concluir que fo...
Como estabelecido entre o conselho nobre... aqui e...
Aquela do "rédeleibou ou aici" é pior... Vai por m...
http://poecinzas.blogspot.com/2009/09/uma-carta-pa...
pesquisar