Felipe Lacerda - o escritor que diz Ni

Novembro 11 2009

Eu também estou começando a fiicar com dó de mim. Apesar da maior parte disso tudo ser psicologicamente explicável pela imagem da criancinha e seu cavalo de pau, a verdade é que de fato ando meio sem noção de muitos aspectos importantes. Desculpa aí pela crise emodepressiva dos últimos posts, mas o universo anda meio descentralizado do lado de cá com a ausência de denominadores comuns palpáveis (ou apalpáveis). E a Bárbara até tem razão, mais ou menos... todavia, acho que o cafajeste aqui, se não reabilitado de todo, desde o último relacionamento experimentou um novo tipo de amor que vale a pena. Alguma coisa sobre verdade e genuidade além do simulável.

 Sem mais delongas nem zigue-zagues, parto logo para los finalmientes, onde aceitando o convite do escritor Cochise César, vim a conhecer o blog  http://falabras.blogs.sapo.pt/, e aqui vão minhas impressões do site, segundo os termos do contrato assinado com o Mefistófeles da Cajubrina, que anda no casa e num casa que adia meu bombom na porta da igreja:

 

" A primeira impressão que tive ao abrir a página foi como se eu entrasse num daqueles sites em flash da Barbie. senti um ligeiro aperto no esôfago que me fez pensar na onde raios o cochise havia me metido. Numa primeira olhadela o blog me inspirou desconfiança. Primeiro pelo cara que indicou. Nada pessoal, Cochise: Mas o seu gosto é tão apurado que meu intestino geralmente rejeita.

Enfim, danei a ler. E li e li e li. Li muito. Quando percebi, já estava lendo à um tempão. E rindo muito. Não que isso seja uma enorme vantagem, já que até Dr. Peppers me faz rir. Mas percebi que ria do jeito que eu rio com meus amigos. É isso que defini o humor do humor que eu gosto. O que me lembra a minha roda de amigos. Aqui, os resquícios dessa humanidade febril que habito entre prédios semi-altos, raramente se encontra paralelos no humor comum. Pois bem. O humor é tão sutil que ninguém em sã consciência chamaria de humor propriamente dito. Na medida correta, entre a gargalhada e o amarelo.

Porém, antes de voltar a falar diisso, vou falar de estética. É gostoso de ver e depois que se lê uma duas frases nota-se que a Barbie pegaria fogo se estivesse ali. É confortável com seus tons amenos e pestéis, parece um Hieronymus  Mosh brincando no Flash. Mas uma ressalva que faria é sobre a onipresença do verde catarro-pneumonia. cansa a vista . 

Os textos geralmente são curtos, e pela qualidade, você salta de um para o outro compulsivamente. Gostei dessa sensação. Me fez ler quase tudo. Quase tudo. Lógico que como todo blog, tem lá seus textos idiotas. Mas são excessão, o que é bom, numa blogosfera ridícula atual, onde excessão são textos bons, a maioria é idiota. Falo isso sem a menor maldade, por incrível que pareça. Realmente gostei do blog. Outra coisa que achei fantástica foi a construçõa de diálogos verossímeis, inteligentes e descontextualizados. Isso é, são simplesmente diálogos. Isso é algo que eu geralmente faço e achei maravilhoso encontrar alguém que também faça com o mesmo senso de humor sacana e ligeiramente confessional. Ponto por isso. O texto sobre a tensão sexual entre dois colegas de "projeto" é delicioso. E destacaria tabém o curtíssimo texto sobre os amigos no bar, o cara tocando violão. Ligeiro e fatal, como um tiro na testa.

De um modo geral, senti prazer lendo o blog. O que é raro, apesar de ser blogueiro, quase nunca saio por aí caçando blogs. Os que leio eu já leio a um tempo, e estão listados ali do ladinho. Só me meto nesse terreno arriscado de novos autores quando é por indicação de alguém, como foi nesse caso.

Outra coisa que me chamou a atenção foi o modo quase despretensioso dos textos. Detesto ler aquelas epopéias megalomaniácas dos blogs costumeiros, aquela coisa que parece um "ei, estou aqui! Olhem pra mim!" de uma adolescente de 15 anos em crise de identidade. No Falabras a coisa soa mais humana, mais real, menos existencialisma, mesmo que tesudamente auto-irônico.

É disso que gosto. Não é tãããão difícil assim me agradar. Basta ser inteligente. Apesar dos barracos que rolam por aqui de vez em quando, o Espalhando Câncer se presta ao bom cultivo da inteligência. Meus parabéns ao(s) autore(s) do Falabras, e embora não tenha conversado com eles ainda diretamente, tenho a impressão que teremos muito o que trocar.

Por essa razão, como faço com o que gosto, o link do blog já está ali na nossa barrinha direita. A todos os meus leitores desse tubo de elétrons (segure o riso até o fim da frase) fica a indicação, e eles podem comprovar a franqueza do que estou dizendo: Meu ego é grande demais para falar bem de algo que não tenha meu nome (podem rir agora). Então saibam, que se me prestei a escrever algo aqui sobre o site de vocês, é porque gostei demais. Então chega de desfiar seda, um abraço forte ao povo do Falabrás (continuem reinventando a vida. Ela é um saco) e um aos meus leitores, eu garanto: Vale o clique".

 

NOTA ESPECIAL PARA O COCHISE: Meu caro escritor que nunca usa bermudas, sua indicação foi excelente. Já os outros dois links que me enviou eu não gostei. E como não gostei, não vou resenhar. Se for pra escrever uma crítica negativa, prefiro economizar dedo. Eu teria que ter tido uma impressão para falar mal. Nem isso. Deve ser uma daquelas coisas de apuro artístco que você consome que fazem minha gastrite doer. Mas essa indicação... valeu por todas, amigo mefistófeles de cabeça chata. Continuas um gênio sublime. Abraço.

 

 

E VOCÊS VENCERAM! Parem de balançar ameaçadoramente essas tochas ! Eu DESLIGUEI a porra do ANTI-SPAM!

Se meu blog for infestado por propagandas de dietéticos ou alongadores de pênis eu MATO vocês.

publicado por Felipe Lacerda às 16:36

testando a desabilitação do Anti-Spam:
Funciona
Felipe Lacerda a 11 de Novembro de 2009 às 17:11

Querido Felipe (sinto que começar esse comentário com "querido" denuncia a Barbie camuflada do meu blog :P), eu nem tenho falabras pra descrever o que foi ler essa resenha. Vez ou outra alguém diz que gosta do que eu escrevo, mas na grande maioria das vezes são amigos, ou seja, credibilidade zero. Daí, ler isso aqui de quem nunca viu minha carinha besta e é aparentemente muito inteligente me deixa com uma inevitável sensação boba-constrangida-lisonjeada. Obrigada pelo sorriso autista de hoje. Tomara que eu não decepcione nos próximos textos... o nível dos leitores tá começando a me deixar tensa...
Beijo
Fabíola
the fazz a 13 de Novembro de 2009 às 19:47

Excelentes escolhas, o Falabras e desactivar o anti-spam :)
Pedro a 13 de Novembro de 2009 às 21:24

Vc é ótimo! E esse comentário se refere tbm aos posts de cima que eu acabei de ler.

PS: o Cochise usa brmudas... mas é só comigo muahahahaha
Marcela a 17 de Novembro de 2009 às 22:33

Alto, loiro, sarcástco, finamente irônico, ator, escritor, ano 87, à alcool, sére luxo, estofado de couro, rodas de liga leve, direção hidráulica...
O Autor
comentários recentes
Muito bom o seu post. A poesia é alog que sempre v...
Na boa cara, muito pomposo este seu artigo, mas v...
Adoro este blog e já o leio à alguns dias a acompa...
Eu não sei quem sou e você sabe quem é? E se não s...
"A poesia é a música da alma, e, sobretudo, de alm...
deve se orgulha sim você é o OVULOZORD Da turma a ...
Como vc num deu nome aos bois, vou concluir que fo...
Como estabelecido entre o conselho nobre... aqui e...
Aquela do "rédeleibou ou aici" é pior... Vai por m...
http://poecinzas.blogspot.com/2009/09/uma-carta-pa...
pesquisar