Felipe Lacerda - o escritor que diz Ni

Maio 25 2009

As coisas saíram exatamente como imaginei que sairiam. Gostaria muito de agradecer ao pessoal que me contatou por e-mail, além das respostas que já dei pela própria internet ou pessoalmente.

Bom, o que aconteceu foi que passei um tempo longe da desse blog. Minha vida caminhou a passos largos nas úlimas semanas e não tive como atualizar noossa aclamada página verde. Passou meu aniversário (19 de maio, 22 séculos, e a Kamille me deu um isqueiro em forma de guitarra. Difícil uma mulher me conhecer tão bem assim).

Meu trabalho vem sido bastante divulgado na net, o que é booom, muito bom. E o melhor: Divulgado por terceiros. Lindo isso. Além disso tudo, meu tempo virtual está escassso por que estou preparando outra página que entrará no ar daqui a pouquinho, além da já citada APOCALIPSE 23. Mas essa, ainda sem nome, é sobre um universo de quadrinhos que estou criando em parceria com Paulo Mendonça e Cochise César (é, eeele. Quem dise que nunca mais trabalharíamos juntos, hein?)

Assumida a mea culpa, retornemos ao rítmo cardíiaco de sempre. Tum-tum.

O Ponto de Cultura renovou para esse ano a proposta de oficina de teatro e cinema. Tamos lá. O trabalho na periferia sempre revela estupendos artistas. sempre foi assim.

 

Sobre outras coisas: Vão bem, sim senhor. A única coisa que caiu de produção foi a Borboleta Mecânica. Mas precisava ceder em um ponto. Cabeças rolaram e o projeto foi cortado pela metade. Vamos voltar ao príncipio e eu aviso qualquer coisa.

Atualmente já está no ar, conforme artigo colado no post anterior, a página do LONGAS ESCADAS. Lá você irá encontrar a amostra do livro que será lançado em 2010 e eu já falei mais que Dona Maria na janela sobre isso.

 

Nesse período de sumiço eu andei lendo bastante e estudando bastante esse mercado da internet. Chamo de mercado por que é assim mesmo que vejo. E conheci diversos sites, blogueiros e blogues que mais pra frente (quando essa dor de cabeça passar) eu vou indicar por aqui.

Quando somos atropelados pelo destino, não adianta tentar apertar o freio. Se brecar, capota-se. Eu já dei demais com as fuças no asfalto pra ficar dando sopa na vitrine. Apartir de ontem, simbora. Nossos dias serão pra sempre, e serão nossos.

Ontem ventou pra cacete. Não sei no resto do mundo, mas o vento desceu as montanhas em Minas. E o frio é bom pra namorar, bom pra ficar agarradinho.

 

Ah, antes de ir embora, um último toque:

 

Leiam o material disponível, é rapidim o download no 4shared, uns 5 megas, qualquer carroça de jegue com conexão discada faz isso. Eu sei porque até o MEU faz.

 

>>> http://www.4shared.com/dir/15872022/36a6aaf0/sharing.htm<<<l

 

 

 

 

publicado por Felipe Lacerda às 14:29

Alto, loiro, sarcástco, finamente irônico, ator, escritor, ano 87, à alcool, sére luxo, estofado de couro, rodas de liga leve, direção hidráulica...
O Autor
comentários recentes
Muito bom o seu post. A poesia é alog que sempre v...
Na boa cara, muito pomposo este seu artigo, mas v...
Adoro este blog e já o leio à alguns dias a acompa...
Eu não sei quem sou e você sabe quem é? E se não s...
"A poesia é a música da alma, e, sobretudo, de alm...
deve se orgulha sim você é o OVULOZORD Da turma a ...
Como vc num deu nome aos bois, vou concluir que fo...
Como estabelecido entre o conselho nobre... aqui e...
Aquela do "rédeleibou ou aici" é pior... Vai por m...
http://poecinzas.blogspot.com/2009/09/uma-carta-pa...
pesquisar