Felipe Lacerda - o escritor que diz Ni

Abril 15 2009
Discorremos sobre a dor e o amor, sobre as intermitencias da carne e inveracidades da escrita. Depois pagamos cada um o seu café e voltamos ao mundo triste e vazio. Só nós estavamos cheios.
publicado por Felipe Lacerda às 04:13

Cheio de quê? Café?
Bárbara? a 15 de Abril de 2009 às 14:28

Olá Felipe,

realmente muito tempo que não nos lemos... já te aceitei no msn para falarmos de marcos zero ou das "inveracidades da escrita"....

Um abraço,
Imcompreendida a 15 de Abril de 2009 às 19:55

Alto, loiro, sarcástco, finamente irônico, ator, escritor, ano 87, à alcool, sére luxo, estofado de couro, rodas de liga leve, direção hidráulica...
O Autor
comentários recentes
Muito bom o seu post. A poesia é alog que sempre v...
Na boa cara, muito pomposo este seu artigo, mas v...
Adoro este blog e já o leio à alguns dias a acompa...
Eu não sei quem sou e você sabe quem é? E se não s...
"A poesia é a música da alma, e, sobretudo, de alm...
deve se orgulha sim você é o OVULOZORD Da turma a ...
Como vc num deu nome aos bois, vou concluir que fo...
Como estabelecido entre o conselho nobre... aqui e...
Aquela do "rédeleibou ou aici" é pior... Vai por m...
http://poecinzas.blogspot.com/2009/09/uma-carta-pa...
pesquisar